03/11/2019
17:00
Rivoli – Grande Auditório
Crossings / Travessias

com 

Joana Gorjão Henriques

A sessão de abertura do Fórum do Futuro apresenta uma das mais conceituadas escritoras da atualidade – Chimamanda Ngozi Adichie tem obras traduzidas em mais de trinta línguas e foi considerada pela revista Time uma das “100 Pessoas Mais Influentes do Mundo”. Conhecida pela coragem, originalidade e assertividade com que aborda nas suas obras temas como a negritude e o feminismo, a autora falará sobre a forma como o racismo ainda hoje opera a partir de um discurso único, latente e perigoso. Quais as implicações sociais da sua inevitável interiorização?


A autora afirma que só se começou a sentir negra quando emigrou da Nigéria para os Estados Unidos com 19 anos e foi confrontada com a perceção americana relativamente a África – uma visão linear e paternalista de catástrofe, pobreza e ignorância –, que a levou inicialmente a rejeitar a ideia de se identificar como negra. Nesta conversa moderada por Joana Gorjão Henriques, reputada jornalista e autora de livros centrados em questões relacionadas com racismo e direitos humanos, Chimamanda Ngozi Adichie falará sobre o longo processo de redescoberta da sua identidade e cultura, e da importância das obras literárias de autores negros americanos e africanos para entender as raízes dos estereótipos racistas na América. Defendendo a importância fulcral da existência de múltiplas narrativas, a autora considera que o ato de escrever deve sempre ter uma função social – as histórias podem quebrar a dignidade de um povo, mas também têm o poder de reparar a dignidade quebrada.


Tradução Simultânea