Sábado
10
novembro
17:00
Rivoli - Pequeno Auditório
Sobre simpatia, ou a (antiga) História da Natureza

Moderação   -  

Isabel Lewis

×

Como definiam os gregos a simpatia? Ao contrário do que seria de esperar, nos séculos IV e III a.C. o conceito de simpatia não implicava uma mera relação entre pessoas, mas sim uma relação emocional distribuída por todo o cosmos e por todas as coisas, humanas e não humanas, que unia todas as naturezas.


Brooke Holmes, professora de Estudos Clássicos na Princeton University e responsável pelo projeto Liquid Antiquity, partirá dos conceitos de simpatia e de Natureza na Antiguidade para discutir a necessidade de resistir à tentação de descrever “os antigos” como anti ou pré-modernos. Em conversa com a artista e performer Isabel Lewis, cujas occasions remetem frequentemente para a Antiguidade, Holmes explicará como a emergência do conceito de simpatia aponta para uma crescente preocupação da filosofia, da ciência e da medicina da Antiga Grécia com a relação entre naturezas, conduzindo ao conceito de Natureza com “N” maiúsculo. Hoje em dia, o termo Natureza é usado para descrever o que já perdemos ou vamos perder com a catástrofe ecológica, mas é também um conceito que está na base de uma política obsoleta que precisa de ser ativamente destruída. O que podemos aprender com a “antiga” conceção do mundo natural? Quais os problemas relacionados com os mitos primordiais da Antiguidade e quais as dificuldades que estes expõem no “nós” planetário?



Tradução simultânea